Bate papo sobre mercado fotográfico

Convidado a palestrar no Incoma* deste semestre, sugeri um tema que sempre me trazem nas consultorias que presto para novos fotógrafos: Mercado. Como começar, o que ter de estrutura, como precificar, como encontrar um lugar ao sol (que nasceu para todos).

Entrada gratuita e aberta ao público geral, não precisa ser aluno da faculdade.

Será nesta segunda-feira, para máximo de 65 pessoas – Porém restam menos de 20 lugares…
Vem bater papo, será um prazer trocar ideias contigo sobre fotografia!

Inscrições aqui: http://incoma.com.br/cadastro.php?palestra=21

 

 

18528007_1504052806332285_830350426535308844_n.png

 

*O Incoma é um evento semestral organizado pela agência experimental COMA Design da FAAL (Faculdade de Administração e Artes de Limeira). Está em sua 8ª edição contando com mais de 800 participantes semestralmente, e este número cresce a cada edição. Aberto ao público e divulgado através de mídias impressas e digitais, com o número de inscrição limitada apenas para palestras e workshops.

Anúncios

Workshop VIP “Ensaio em Estúdio”

Nas tardes de 16 e 17 de julho (sábado e domingo, das 13:00hr às 19:00hr) ministrarei um workshop 100% prático sobre ensaios em estúdio, falando desde a montagem de uma sala de estúdio (espaço ideal, equipamentos disponíveis no mercado), até macetes sobre direção de modelos e de produção, passando por tratamento das fotografias em Adobe Lightroom e Adobe Photoshop.
Falo inclusive sobre o mercado de fotografia em estúdio – E não só de modelos, mas também de ensaios de família. Enfim, sobre retratos dentro de estúdio.
Como prospectar, o que pedir que levem no dia do ensaio, como receber os clientes, como entregar material final. Vamos conversar bastante para sanar dúvidas acerca não somente das questões técnicas.

Voltado para qualquer pessoa que tenha interesse em começar a fotografar pessoas em estúdio, o workshop contará com apoio de duas modelos – Uma delas, com presença confirmada, é a Ana Beatriz Camargo, Miss Limeira 2015.

Doze horas dentro do estúdio. Em Limeira, SP.

Inscrições abertas. Pagamento facilitado.
Vagas limitadíssimas.

Maiores informações e inscrições: punctum @ prismashop.com.br e/ou 19 9 8117 7755.

ws_book_ana_beatriz_jul16

Punctum | Núcleo de Fotografia

Raríssimas postagens neste ano. Não pela falta de trabalho a publicar, muito pelo contrário: O excesso dele me tirou tempo para dar atenção ao blog.

Entre as boas novas de 2013 está a abertura do Punctum, Núcleo de Fotografia.

O Punctum é um novo espaço para fomentar a fotografia em Limeira e região. Lá estão sendo ministrados workshops, cursos, encontros, palestras sobre fotografia básica, Lightroom, iluminação.

Também é um estúdio onde são feitos books e fotografia institucional e para publicidade – E a sala pode ser alugada por fotógrafos.

Está no Facebook? Curta a fanpage para ficar por dentro da agenda: www.facebook.com/punctum.limeira

Imagem

Oficina de fotografia

Hoje começo a ministrar a oficina “Fotometria, Iluminação Criativa e Photoshop”, pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, através da Oficina Cultural Carlos Gomes.

Sempre faço seleção por questionário, para conhecer o perfil dos interessados (as regrinhas de marketing estão sempre na cabeça, em tudo).
Tabulando os dados fica muito claro que a necessidade geral é de compreender o funcionamento do próprio equipamento (mesmo quando se trata de câmera compacta) – Imagine, então, a essencial fotometria.

É preciso que as bases, formadas por aqueles que gostam de fotografia, que formam opinião sobre fotografia (dentro de seus próprios círculos sociais), que consomem fotografia, entendam que ela é prazerosa, porém não tão simples e barata quanto pode parecer. Somente assim os profissionais da área serão valorizados e o mercado se fortalece.

Fica a dica para os que se dispõe a lecionar fotografia. Quando a informação é disseminada, o bom profissional é quem mais ganha.


Arte final: Marcos César Fermino

Contrato um fotógrafo ou compro de um banco de imagens?

Chega o momento em que o cliente precisa comprar uma foto e aí vem o raciocínio da maioria: “Para quê contratar um fotógrafo, dispor de meu tempo e do tempo da minha equipe, se basta fazer uma breve busca na internet para conseguir a “mesma” foto que quero, pagando muito menos?”.

É fato, não dá para negar: Os bancos de imagens estão cada vez mais completos, recheados de boas fotos. Os preços são muito acessíveis e tentadores ao cliente, principalmente quando comparados ao orçamento de um fotógrafo profissional.

Acho que não é preciso discutir a razão pela qual o valor da contratação de um fotógrafo profissional é superior ao valor de uma foto de banco de imagens, mas aqui vão alguns lembretes:
– A contrução das fotografias é personalizada, jamais encontrada em um banco de imagens;
– O cliente contará com o conhecimento do profissional para transmitir, através destas fotos, exatamente o que sua empresa quer comunicar;
– Nenhum concorrente poderá utilizar suas fotos, pois o cliente estará resguardado pela legislação;
– Ao mercado (tanto aos seus clientes, quanto aos seus concorrentes), demonstra seriedade, maturidade e profissionalismo (Já viu alguma grande empresa utilizar fotos de banco de imagens?);
– Entre outras ene razões.

Existe um fator EXTREMAMENTE IMPORTANTE que é ignorado pelo cliente (geralmente o pequeno), que opta por comprar de um banco de imagens: A imagem que o cliente fará dele quando visitar seu website ou tiver acesso ao seu material de divulgação.

Imagine a seguinte situação:
Você precisa contratar uma empresa de gestão de projetos em engenharia civil, mas não tem tempo para sair as ruas e fazer pesquisa, conhecer formas de trabalho, valores, prazos, enfim, tudo o que envolve a contratação de uma prestação de serviços.
Decide fazer uma busca pela internet e encontra três empresas, todas com sites bonitos, bem montados, com informações completas.
Apesar de não conhecer nenhuma delas, pelas informações todas parecem ter a mesma qualidade técnica.

Resolve fazer contato e clica em QUEM SOMOS, ou EMPRESA, ou qualquer link que seja designado a apresentar as pessoas que trabalham nesta empresa, e você dá de cara com esta imagem:


Você sabe que as pessoas desta foto são reais, integrantes do time de trabalho daquela empresa, mostrando quem são de fato.
Quem mostra sua cara transmite credibilidade, e a imagem da empresa se fortalece com isto.
Há a sensação de que eles realmente existem e isto transmite alguma tranquilidade.
Você se conecta.

Então acessa o mesmo link dos outros dois sites, concorrentes do primeiro, e encontra estas fotos:



Encontra apenas fotos de bancos de imagens – São as chamadas “imagens da internet”. (Ignorando as marcas d’água) São bonitas, bem elaboradas, mas… Você se pergunta “Quem são as pessoas que me atenderão?”, ou “Estas empresas realmente existem?”.
A página é fria, sem um primeiro contato real. A empresa deixa de existir e o que passa a existir é apenas um website – Mais uma página na vasta internet.
Você não se conecta.

Estou exemplificando com empresas de gestão de projetos, onde o serviço primeiro precisa ser prestado para somente depois o cliente pagar. Agora imagine se fosse uma loja virtual em que o cliente precisa primeiro pagar para somente então receber o produto? Ou mesmo pagando depois, imagine se fosse uma prestação de serviços em que o profissional precisa visitar o cliente? A pergunta que fica é “Como saber quem entrará pela minha porta?”.

Como cliente, a qual empresa você confiaria seu dinheiro: A que utiliza fotos de internet ou a que utiliza fotos de seu próprio estabelecimento, com seus colaboradores reais?

Tem visão estratégica o cliente / a empresa que investe uma fábula para construir (ou reestruturar) seu negócio, faz pesquisa concorrencial, treina a equipe, oferece bons produtos, contrata uma agência de publicidade, faz banner, cartaz, panfletagem, anúncio em jornal, revista, tv, mas acha caro contratar um fotógrafo para ajudar a construir a imagem de sua empresa?

Raciocina o cliente que confia a imagem de sua empresa a uma (pseudo) agência de publicidade que não contrata um fotógrafo, que faz por conta própria as fotos de sua empresa, “porque o diretor de arte tem uma câmera que troca a lente”, e se intitula fotógrafo, mas que nunca estudou linguagem fotográfica?

A fotografia precisa de muito conhecimento técnico para ser dominada. A linguagem fotográfica também é mais complexa que parece.
O cliente não tem obrigação de conhecê-las – Nem “diretores de arte” (entre aspas mesmo) sabem de fotografia. Então por quê não delegar o assunto a quem é da área?

Contratar um fotógrafo ajuda a boa apresentação do seu negócio. A percepção de valor muda para melhor.

Fotografia é investimento na construção da imagem da sua empresa.
Provavelmente seja o investimento mais barato que você fará em todo o processo de construção de marca – Não é inteligente investir milhares de reais em mídia para veicular uma imagem ruim, mal feita ou comprada da internet.

Pense sobre o assunto.